Usina da ETH em Goiás terá R$ 730 milhões em incentivos do governo

Usina da ETH em Goiás terá R$ 730 milhões em incentivos do governo

O governo de Goiás autorizou a concessão de R$ 730 milhões em incentivos fiscais à Rio Claro Agroindustrial, usina da ETH localizada em Caçu (GO). O valor corresponde ao abatimento, durante 15 anos, de 73% do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) das vendas da unidade. A renúncia é prevista no programa Produzir, da Agência de Fomento de Goiás (GoiásFomento). O contrato foi assinado ontem pelo diretor da unidade, Luiz Antônio Carnielli e por representantes do programa.

A ETH prevê investimentos de R$ 270 milhões na usina, que começou a operar no dia 5 de maio, possui 1.900 funcionários e deve moer 2 milhões de toneladas nesta safra. A produção esperada deve atingir 190 milhões de litros de etanol, além de energia elétrica de co-geração. Toda colheita da cana utilizada é feita por máquinas.

O programa Produzir prevê que a empresa recolha 27% do total do ICMS cobrado sobre as vendas. A cada dois anos uma auditoria do governo de Goiás verifica se uma série de regras foi cumprida, como, por exemplo, utilizar mão de obra local e contratar deficientes físicos. Caso a companhia tenha se enquadrado, a dívida correspondente a 73% do ICMS devido é zerada. O valor em benefícios é estimado por meio das informações que a própria companhia fornece no projeto executivo enviado ao governo local.

Açúcar Guarani

A Açúcar Guarani reverteu o prejuízo líquido de R$ 205,2 milhões apurado no exercício de 2008/2009, ao lucrar R$ 24,3 milhões na safra 2009/2010, o que abrange o período de abril de 2009 a março de 2010. Já a receita operacional líquida da empresa atingiu o recorde de R$ 1,36 bilhão no ano 2009/2010, valor 16,1% acima do obtido em 2008/2009 (R$ 1,17 bilhão).

“O aumento da receita decorreu da alta de 40,1% no preço médio do açúcar e de 14,4% no preço médio do etanol, sobretudo no segundo semestre de 2009. A receita de açúcar representou 67,3% da receita líquida total, enquanto as vendas de etanol foram responsáveis por 29,4%”, assinalou a Guarani.

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) ajustado da Guarani quase dobrou no período, ao avançar 94,6%, para R$ 335 milhões na última safra. A margem Ebitda ajustado, por sua vez, cresceu quase 10 pontos percentuais, de 14,7% para 24,6%.

No fim de março, a dívida líquida da Guarani estava 14% superior ao mesmo período de 2009: a R$ 1,145 bilhão, valor que inclui os mútuos de R$ 396,3 milhões com a Tereos.


Fonte: Agência Estado (26/05/2010)

Link para esta página:
http://jalles.co/S1eOIH
Por Daniela Rodrigues - Assessoria de Imprensa da Jalles Machado S/A.